Black and White.




Eu já não sei mais, Não sei viver sem ter você, Hoje eu queria te esquecer, Mas quanto mais eu tento, mais eu lembro.
Hoje faz exatamente dois meses do primeiro beijo, não quero que pareca clichê, então eu só queria falar, que aquele dia foi surreal em mim, foi assim do nada, bom dizem que as coisas que não são planejadas são as melhores não é? Quem diria que um dia nós dois iriamos ficar assim, tão nossos, tão intensos, tão chatos um com o outro, tão frágeis. Já não tenho mais pra onde correr, você não foi uma dessas coisas que acontece e passa, você com certeza foi uma dessas coisas que a vida me trouxe de melhor, pra nunca esquecer, eu só te disse isso uma vez, foi no dia que quase te ”perdi”, mas agora eu digo sem medo algum, eu amo você, você já faz parte de mim, meu amor, meu chato, meu bebê, meu magrelo, meu spyke, MEU só MEU, meu moreno. (Faby)
JÁ FALEI QUE TE AMO, MEU MORENO… Porque eu gosto dos seus olhos, principalmente quando olham pra mim, Gosto da tua boca, mais ainda quando ela está encostada na minha, Gosto daquele sorriso bobo quando tenta ficar sério e não consegue, Gosto daquela tua risada gostosa de se ouvir, Gosto daquelas mãos na cabeça, mordidas nós lábios e respiração forte quando tá com raiva, Gosto de beijar teus olhos, e olhar tua boca, Gosto de te ver emburrado, com cara de criança, Áh, gosto de tudo que venha de você, porque eu topo qualquer parada nesse mundo, desde que seja com você, pois é assim que me sinto segura!

"Outro dia tentei chorar. Outro dia tentei abraçar meu travesseiro. Não acontece nada. Eu não consigo sofrer porque sofrer seria menos do que isso que sinto. Tentei falar. Convidei uma amiga pra jantar e tentei falar. Fiquei rouca, enjoada, até que a voz foi embora. Tentei aceitar o abraço da minha amiga, mas minha mão não conseguiu tocar nas costas dela. Não consigo ficar triste porque ficar triste é menos do que eu estou. Não consigo aceitar nenhum tipo de amor porque nenhum tipo de amor me parece do tamanho do buraco que eu me tornei."
Tati Bernardi.  (via despoetizares)

(via pequena-invocada)

"Saudade de quem você era. Medo do que você se tornou."
Geovane Pereira (via despoetizares)

(via pequena-invocada)

"Não dá pra decidir quem amar, talvez esse seja o problema, no final sempre amamos os mais banais."
Pedro Costa.  (via pomorena)

(via pequena-invocada)

“Você é igual a todos os outros e todos os outros são: lixo. O amor não existe, e, se existe, não dura pra sempre. E, se não dura pra sempre, não é amor. E nada dura pra sempre. E então o amor não existe. Estou amarga com simplicidade, e isso é relaxante já que vivo cheia de complicações. A amargura é muito mais simples que a esperança. Estou triste do tamanho do buraco sem vida que você deixou em mim, uma concavidade sonhadora que ainda pulsa um desejo que ao mesmo tempo enoja. Ainda sinto você aqui dentro e toda a energia boa de vida que esta lembrança poderia gerar em mim, mas essa energia sem escape, sem válvula, sem história, essa energia inocentemente transformada em ódio, só carrega ondas que me corroem por dentro. Mas para não sentir dor eu vou jurar ao último ouvido do meu universo o quanto você é descartável. O quanto sua molecagem não permitiu nenhuma admiração de minha parte. Para não sofrer não vou permitir minha cabeça no travesseiro antes do cansaço profundo e sem cérebro. Não vou permitir admirar coisas da natureza porque talvez eu me lembre de você ao ver algo bonito. Não vou permitir silêncios porque é aí que o meu fundo transborda e a tristeza pode me tomar sem saída. Eu vou continuar deixando a minha cabeça me martelar porque toda essa confusão é ainda menos assustadora do que a calmaria da verdade.”
— Tati Bernardi.

+